Prince Far I

Prince Far I nasceu em 1944 e faleceu em 1983 foi um DJ de reggae jamaicano, produtor e seguidor Rastafari. Ele era conhecido por sua voz rude e por sua avaliação crítica do governo jamaicano.
   Nascido Michael James Williams em Spanish Town, Jamaica, seu primeiro trabalho na indústria da música foi como um DJ de nome Sir Mike no sistema de som Musical Dragon, também trabalhando como um guarda de segurança no estúdio de Joe Gibbs e mais tarde como um bouncer no Studio One, mas após a gravação de "The great Booga Wooga " para Bunny Lee em 1969 (sob o nome King Cry Cry, uma referência ao seu hábito de virar-se em lágrimas quando irritado), ele teve a chance em 1970 de gravar para Coxsone Dodd quando King Stitt lhe conseguiu uma sessão. Dodd impressionou-se suficientemente para liberar as gravações resultantes,  Williams, agora usando o nome de Prince Far I por sugestão de outro produtor que havia trabalhado com Enos McLeod. Com uma voz única bem grave ele preferia descrever-se como um "ponteiro" em vez de um "toaster",  tornou-se um músico de reggae popular, denominando-se voice of Thunder "A voz do trovão".
   Seu primeiro álbum, Psalms for I, com a oração do Senhor e vários Salmos, foi dedicado para os analfabetos que não podem ler a Bíblia por si mesmos. Ele então trabalhou com Joe Gibbs no segundo álbum, antes de assinar com a Virgin Records para seu selo Frontline. Doze álbuns seguiram entre 1978 e 1981, incluindo a série de Cry Tuff Dub encontro conceituada de álbuns dub  produzido por ele mesmo e lançado em sua gravadora Tuff Cry e apresentando a Roots Radics sob o pseudônimo dos árabes. Prince far I passou um tempo na Inglaterra onde colaborou com UK On-U Sound Records  fornecendo vocais, considerado um mentor para Adrian Sherwood. Sua última performance ao vivo ocorreu em 7 de dezembro de 1982, este desempenho é capturado em seu álbum Musical Revue. Em 1983 ele forneceu vocais no segundo LP Claudia Magic of Suns de Arqa e muitos destes vocais foram reutilizados pela banda repetidamente em uma variedade de faixas e remixes, nesse mesmo ano gravou o álbum Umkhonto we Sizwe (lança da nação) com o produtor Roy Cousins em Kingston, mas antes que o álbum fosse terminado ele foi baleado em sua casa em Kingston, Jamaica durante um assalto, alegadamente relacionados com uma disputa sobre dinheiro,  morrendo mais tarde no hospital.
Ele é citado por The Clash em seu single "Clash City Rockers" e também por Goats in the song "15 de setembro de 1983", uma referência à data da sua morte.

 Fonte de pesquisa: http://www.discogs.com/artist/Prince

http://en.wikipedia.org/wiki/Prince_Far_I

Categoria:Reggae News

Deixe seu Comentário